Guilherme Novita Garcia

Leitura Recomendada

1º ensaio clínico randomizado placebo-controlado de quimioprevenção. Avaliou 13.338 mulheres, principalmente de alto risco. Após 5 anos foi observada redução de 48% na incidência do câncer de mama, porém sem redução na mortalidade. Observou-se aumento de carcinoma de endométrio, catarata e TVP/TEP.

Ensaio clínico randomizado com 19747 pacientes comparando o uso de tamoxifeno com raloxifeno por 5 anos. Seguimento de 81 meses. O tamoxifeno foi mais eficiente na quimioprevenção do câncer invasor (IC 95%: 1,05-1,47) e limítrofe para o CDIS (IC 95%: 0,95-1,59), porém os efeitos colaterais do RAL foram menores, principalmente no endométrio e na coagulação.

Revisão sistemática com estudos de quimioprevenção: TMX (4 estudos) e de RAL (2 estudos). Ambas as medicações reduziram o risco de câncer de mama invasor e in situ, porém apenas nos tumores RH+. As fraturas também foram reduzidas, porém houve aumento nos problemas tromboembólicos e carcinoma endometrial (principalmente com o TMX).

Metanálise de 5 estudos randomizados sobre TMX na prevenção do câncer de mama: NSABP-P1, IBIS-1, Royal Marsden, Italian e MORE. Demonstrou-se redução de 38% no total de neoplasias (IC 95%: 0,28-0,46; p<0,0001). Porém não houve efeito nos tumores RH negativo (HR: 1,22 – IC 95%: 0,89-1,67). Já os tumores RH+ tiveram redução de 48% (IC 95%: 0,36-0,58, p<0,0001).

Análise de pequeno grupo de pacientes do estudo NSABP-P1 que tiveram mutação do BRCA comprovada. Nas 19 mulheres estudadas, houve redução não significante da incidência de câncer de mama apenas no grupo com mutação no BRCA-2 (RR: 0,38, IC95%: 0,06-1,56). Não foi observado benefício nas pacientes BRCA-1 (RR: 1,67, IC95%: 0,32-10,7).

    GRÁFICOS:

  • Gráfico 1: Número de eventos de carcinoma invasor e in situ no estudo NSABP-P1:
  • Guilherme Novita Garcia Gráfico

  • Gráfico 2: Metanálise dos principais estudos sobre quimioprevenção com TMX (NSABP-P1, IBIS-1, Royal Marsden e Milão) demonstrando redução do risco apenas nos tumores RH+:
  • Guilherme Novita Garcia Gráfico

  • Gráfico 3: Resultados da comparação entre TMX e RAL após 81 meses de seguimento:
  • Guilherme Novita Garcia Gráfico

  • Gráfico 4: Metanálise dos principais efeitos colaterais dos estudos comparando TMX com placebo:
  • Guilherme Novita Garcia Gráfico

  • Gráfico 5: Resultados do estudo STAR, comparando RAL com TMX:
  • Guilherme Novita Garcia Gráfico

  • Gráfico 6: Metanálise dos principais efeitos colaterais dos estudos comparando RAL com placebo:
  • Guilherme Novita Garcia Gráfico